Paris e seus mitos ruins

Preço conforme a mesa

Preço conforme a mesa

Franceses são conhecidos por algumas coisas. A simpatia não é necessariamente uma delas. Em especial, quando esses franceses são parisienses. “Eles não falam inglês”, “Eles detestam ingleses”, “Eles te ignoram se tu falar inglês”, “Paris fede”. Essas, entre outras, foram das frases que mais ouvi antes de conhecer a cidade-luz.

Ok, em parte é verdade. Mas nem tudo. Quanto a restrição da língua inglesa: não é bem assim. Até porque em nenhum momento acusam os franceses de serem burros. E só tendo muita falta de inteligência para inviabilizar o inglês num dos principais destinos turísticos do mundo. De fato, um que outro não fala inglês – e não demonstra interessa algum em falar – mas não é possível generalizar.

O odor de Paris é tão bom – e tão ruim – quanto qualquer grande cidade. Mas, como uma mentira dita mil vezes às vezes se torna uma verdade, a fama pegou. No futuro hão de descobrir que tudo não passava de uma jogada de marketing para elevar os preços dos perfumes vendidos por lá.

Turistas românticos!

Turistas românticos!

No entanto, o que é mais notável em Paris é o mau-humor saliente de considerável parte de seus habitantes. A eles, lhes digo: eu vos compreendo. Afinal, não deve ser fácil dividir a sua cidade com milhões de turistas todos-os-dias-do-ano. Paris é uma festa, escreveu Hemingway certa vez. E gente de todo o mundo faz questão de aparecer nela.

Andar por Paris é brincar de reconhecer idiomas. É cruzar permanentemente com japoneses tirando fotos de tudo. É ver brasileiros, espanhóis e uma vasta gama de pessoas pagando de gatinho com um passeio na Champs Elysees. É, para o parisiense, nunca poder ter folga dessa gente, que faz com que os preços sejam bem inflacionados por lá. Parisienses, eu entendo o seu mau-humor.

Ao fim e ao cabo, de tudo o que ouvi e li sobre os problemas de Paris, deram conta de problemas superficiais da capital francesa, como a síndrome parisiense. Nem de longe falam de mazelas reais, como uma desigualdade e tanto encontrada em lados menos cintilantes da cidade-luz.

Ah, esses turistas que não deixam a foto limpa

Ah, esses turistas que não deixam a foto limpa

Rápidas
Dica de um amigo que conhece Paris: Vale visitar e comprar todo o estabelecimento com nome e sobrenome. É questão de honra ao vendedor, ao colocar a sua família na fachada, atender bem.
A birra com os ingleses é tanta que em Paris se paga mais caro para ser atendido nas calçadas (um café na Champs Elysees pode ter o preço triplicado dependendo do lugar da mesa). Em Londres é o contrário!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s