O fabuloso destino de uma velha companheira

HB

HB, von 1589

O ano era 2008. E às vésperas da minha primeira grande viagem internacional comprei € 300 e das seis notas foram comigo a Cuba, apenas uma voltou. Por um esperançoso desejo de viajar de novo, um certo equilíbrio econômico ou preguiça mesmo, decidi que não trocaria a remanescente por reais. Devolveria-a eu mesmo a seu habitat natural algum um dia.

Foi um sequestro, a bem dizer. Que só terminou cinco anos depois, passadas crises que aumentaram e diminuíram seu valor, enfim. Fato que a tal nota embarcou comigo a Alemanha e ainda permaneceu na carteira enquanto outras companheiras suas – de menor valor – iam-se estabelecimentos Baviera afora.

Até que num domingo cheguei a Munique (esta cidade, que vive hoje a sua 180ª Oktoberfest). E como chovia nesse domingo. Descobri que Munique, apesar de ser uma das principais cidades alemãs, praticamente não abre domingo. Parte do que havia programado não pôde ser realizado em respeito ao descanso do trabalhador alemão.

Havia, porém, de se ter uma alternativa, que – ao menos em Munique – não poderia nos decepcionar. Após várias negativas sobre o funcionamento de alguns lugares, perguntamos ao funcionário da Igreja de St. Peter: “E a Hofbräu, abre hoje?”. A resposta soou como música: “Naturalmente”, respondeu ele, com um sorriso de quem fala algo óbvio.

A pé pelo piso molhado de Munique saímos em direção a Hobräu Platzl. E nada mais justo ter pelo menos um dia da semana para ficar por este lugar, uma espécie de templo para quem gosta de boa cerveja. Ainda que o atendimento não seja lá dos mais simpáticos, a cerveja é Hofbräu. E ela vem de litro! De litro!

Foi aí que na expectativa de desfrutar logo daquele líquido, fabricado pela primeira vez no século XVI, que saquei a então companheira nota de € 50 e a troquei por dois deliciosos canecos cheios (e mais cerca de € 35 de troco). Só me dei conta que era ela quando a nota já estava sendo guardada pelo garçom.

No instante antes do Prosit, sorri para ela, em despedida. Por vezes imaginei – antes de qualquer plano de viagem europeia – onde será que gastaria aquela nota. Não poderia ter sido em um lugar mais alegre como aquele. Um brinde!

Anúncios

2 pensamentos sobre “O fabuloso destino de uma velha companheira

  1. Valeu muitooo!!!! uma HB direto da fonte!!! e toda esta intimidade com uma de €50!!! Rendeu uma ótima historia!!! bahhhh!!! eu queria ser o dono desta historia!!! ehahaehaehaehaeehahaeehahae Iradoooooo!!!! Sauuudeee!!!

  2. Pingback: Munique além de outubro e domingos chuvosos | Telha do Tiago

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s