Rápidas cariocas, parte 3

O Rio além da praia

Centro antigo do Rio

Centro antigo do Rio

Que tomar um banho em Ipanema ou Copacabana, dar uma caminhada na orla de Botafogo e no Aterro do Flamengo é bom ninguém questiona. Mas, por favor, não vamos resumir o Rio apenas à praia, Corcovado e Pão de Açúcar. O Rio é mais que verão e samba, bem mais.

Uma vez já falamos aqui que a troca da capital do país do Rio a Brasília prejudicou – e muito – os cariocas. Enquanto no Planalto Central as coisas são rotineiras e prevísiveis, o Rio tem cultura. Cultura que tem todas as outras capitais nacionais que conheço. Como por exemplo…

Entrada da Biblioteca Nacional

Biblioteca Nacional
Um prédio pomposo, de uns quatro espaçosos andares. Com ares europeus. Além da consulta de livros – feita por computadores lá instalados – há a possibilidade de realizar visitas guiadas. Porém, é bom agendar com antecedência de uma semana pelo menos. É bem concorridoo.

Theatro Municipal
Nas proximidades da biblioteca, na Cinelândia, fica o Theatro Municipal. Outro prédio com uma pompa incrível. outro lugar em que dá para fazer uma visita guiada, aonde chegando uma hora antes do horário pré-programado, fica tranquilo.

Centro histórico/Cinelândia
Se tu gostas de história, saia do Theatro e siga caminhando pela Cinelândia e Centro antigo, tudo pertinho dali. Por ali há utros tantos teatros, igrejas e museus. E aí, como eu, comprove que há bem mais que praia e samba nesta cidade.

Academia Brasileira de Letras

Machado de Assis, em frente à ABL

Machado de Assis, em frente à ABL

Também naquela volta, fica a sede da Academia Brasileira de Letras. Queria descrevê-la por dentro, mas não pude entrar, pois vestia roupas impróprias: bermuda e camiseta sem mangas. Então capriche no vestuário quando quiser conhecer a ABL – e não apenas tirar uma foto com a estátua do Machado de Assis.

Palácio do Catete
Um pouco mais distante – mas não muito – da Cinelândia fica o Museu da República, antigo Palácio do Catete, sede do governo brasileiro antes de Brasília. Lá, em 24 de agosto de 1954, Getúlio Vargas saiu da vida e entrou na história. O local é bem conservado e ainda há um belo de um jardim atrás do prédio. Vale o passeio.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s