Da reflexão

Uma das coisas que mais me chamou atenção desde que comecei a viajar um pouco mais frequentemente está nos muros e paredes. Tão acostumado à poluição visual causada pelas pichações sem sentido de Porto Alegre, passei a admirar frases, invocações e protestos que vi em Havana, Buenos Aires e, mais recentemente, Montevidéu.
Algumas achei genial, outras nem tanto, claro. Mas passei a tentar entender esses lugares por esses microtextos em muros. Um povo expressa sua cultura na parede. Em Cuba, a ditadura prega “la revolucíon” como algo belo, enquanto a pobreza se espalhou pelas voltas. Já Buenos Aires, notei protestos – de todos os tamanhos – em mensagens de um povo que não pensa duas vezes antes de protestar. “Sin justicia jamás habrá paz.”
No entanto, foi uma frase de até certo ponto despretensiosa e simples que mais me chamou atenção – até agora. Passeava pela Calle Sarandí, na Cidade Velha de Montevidéu. A guia explicava aspectos interessantes dos centenários prédios para eu e mais dois jornalistas. Eu prestava atenção em meio a traduções em espanhol e português, porém tentando olhar mais coisas do que ela apontava, como sempre. Até que tudo emudeceu quando reparei nessas letras, que posto abaixo. Reparei, parei e pensei. E volta e meia torno a lembrar daquela parede, como uma reflexão.

hay?

E aí?

Cheguei a comentar a frase com alguns amigos quando voltei e lhe fizeram pouco caso. Outros já começaram a discussão. Uma das raras conclusões é que, olhando ao redor, acho que muita gente teria de dizer não se questionado.

Anúncios

7 pensamentos sobre “Da reflexão

  1. Eis que o óbvio é o mais difícil de ser visualizado. E também nesse sentido… Veja quanto tempo ficamos a imaginar possibilidades posteriores, nesse ínterim a vida mingua, passa, foge. Assim nos acostumamos com uma pseudo-vida, em busca daquela que seria a ideal e que demora para chegar, talvez nem chegue. Ah, eu também gosto desses escritos, tinha estima pelas palavras do profeta Gentileza.
    abraço =)

    • E eu me lembrei do Gentileza na hora que vi esse recado. O Rodrigão – do comentário ali em cima – se lembrou também quando comentei com ele. Acho que ele deixou um bom legado…

      beijo

  2. Se as pessoas falassem mais sobre a morte, se não perdessem de vista que somos passageiros só de ida, viveriam melhor, concorda?
    Pertinente tua reflexão.
    Sempre que posso, espio muros. Aqui há um saudável hábito de deixar que alunos e grafiteiros enfeitem alguns muros. Arte da mais pura.
    Abração e bom feriado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s