Solidão, que nada

   A cadeira vazia ao seu lado indicava algo de errado. Logo ele, sempre rodeado de amigos e namoradas, estava agora ali, num canto de luz agonizante, desacompanhado da solidão, apenas a mirar o outros.
   A ausência da cerveja – preterida por uma saudável água mineral sem gás nem limão – também era de se causar estranheza. Apesar da agradável noite, nada de risadas, teorias ou paixões repentinas.
   Tão só o silêncio. E só.
   Na verdade, resolvera experimentar um pouco daquilo que lhe falaram. Coisa de autoconhecimento, da sensação de se ter como companhia. Afastava assim, as chatas pessoas incômodas. Essas, que insistem em se espalhar por todos os lugares.
   No início, até achou interessante ter a si como único parceiro. Entretanto, apesar dos vários pensamentos, ficou mudo. Iam-lhe chamar de louco se começasse a conversar consigo. E isso ele não era. Estava apenas desacompanhado numa mesa de bar, afinal. 
   Em determinado momento, o silêncio virou tédio. Ficar sozinho poderia até ter lá suas vantagens, mas evita certos comentários e conversas que devem ser feitos. Caso contrário, não há alegria, nem vida. E sem elas, qual a graça de viver?
   Na saída, após pagar os poucos reais da conta, até o garçom reparou no seu descontentamento com o conselho errôneo. Mesmo sem nem comentar nada, ouviu do atendente: “Anima. Noites melhores virão”. Ao que olhou as mesas – cheias – distribuídas ao redor e ficou sem entender como esses, que preferem ficar sozinhos, gostam da solidão. Acabam por abdicar da vida, do prazer da boa risada entre amigos.
   Estranhos, eles

Anúncios

9 pensamentos sobre “Solidão, que nada

  1. Às vezes eu gosto de ficar sozinho num bar. Pra conseguir pensar.

    Obrigado pelas palavras, amigo. Graças a Deus tá tudo bem com o meu filhote. O blog pára. Sei lá. Ano que vem, quem sabe, eu retomo. Ou não.

    Abração!!

  2. Raríssimas vezes ficar sozinha me foi solução para alguma coisa. Sempre me inundou de mais solidão, mais tristeza e desilusão. A questão é encontrar a companhia certa, aquela que exalta e extrai o seu melhor. Estar sozinha num bar, ou num lugar público, onde vc só vê pessoas acompanhadas é a pior sensação do mundo.

    Bj.

  3. Estranhos esses, que se cercam de pessoas nem sempre desejadas, apenas para não encontrarem a si próprios.

    Um abraço e bom final de semana.

  4. Não há como solucionar os problemas de Porto Alegre sozinho. É preciso de pelo menos mais dois copos. A solidão que sente em outra mesa!

  5. Tá aí uma coisa que nunca consegui fazer sozinha: sair.
    Pra uma festa, show ou simplismente um bar tem sensação mais estranha que solidão? Ainda mais quando se têm manias como falar sozinha (no meu caso), é ainda pior.

  6. A solidão é boa quando se quer organizar os pensamentos; mas, não por muito tempo…senão, enlouquece…ela por si só, reflete uma imagem já conhecida, mas não traz novidade..para isso: as pessoas,os colegas, amigos…
    …é, não sou muito fã desta companheira..hehe
    belo texto,
    Beijo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s