Tic-tac

paradoxo    As pessoas continuam caminhando na Redenção enquanto as pombas voam por lá. As avenidas seguem engarrafando nos horários de pico para ficarem quase desertas na madrugada. Da mesma forma desconsertada, o centro da cidade é alvejado diariamente pelas buzinas dos veículos. Os mendigos ainda estão na esquina da João Pessoa com a Ipiranga. O guri picha no muro na espreita, destrói uma parada de ônibus e se acha malandro. Muitas pessoas bebem no Ossip, no Pingüim, no Marinho e também no Dublin, no Mulligan e no Cherry Blues. O Pronto Socorro não para de receber mais e mais pacientes, afinal, os acidentes vêm acontecendo com frequência em Porto Alegre.
   No Brasil, (dizem) o Rio de Janeiro continua lindo. Mesmo assim, as favelas se espalham cada vez mais pela maravilhosa cidade. São Paulo segue registrando todos os tipos de caos, alguns quase proporcionais ao seu tamanho. Na Bolsa de Valores, as gargantas dos investidores estão piores, por causa da crise que afeta todo mundo. Em Brasília, vossas excelências os senadores, não cansam de inventar desculpas para deixar tudo como sempre foi. Da mesma forma que está. A poucos quilômetros deles, de ti, caro(a) leitor, de mim, de todos, tem alguém passando fome. Ainda.
   O tango embala os casais em Buenos Aires e a salsa coloca todos para rodopiar em Havana. O Big ben, segundo a segundo, lembra os britânicos que todos devem ser pontuais na Terra da Rainha. A Torre Eiffel permanece como fundo preferido dos turistas em Paris. O papa, mesmo que já tenha aprendido a dar sermões pela Internet, ainda nega a importância da camisinha. Na Califórnia – e em todo canto – muitas pessoas drogam-se como se fosse a coisa mais normal do mundo. E parte dessa droga tem a matéria-prima retirada lá do Oriente Médio, onde os tiros persistem em abalar a paz da região. Paz essa, que também é tão sonhada – e tão utópica – nas Coreias, na África e no morro aqui ao lado.
   Mas, o fato é que as ondas vão continuar a quebrar, o vento a soprar, a chuva a molhar, o sol a esquentar e a noite a esfriar. Quase tudo vai seguir exatamente como está nesse momento. Enfim, o mundo não para. E nem vai parar. Logo, pra que querer ficar sofrendo? Bobagem tremenda ficar assim.

Anúncios

8 pensamentos sobre “Tic-tac

  1. Muito Bom Dia, Boa Tarde ou Boa Noite, Sr. Tiago!

    Poh, tu escreve bem heim. Gostei principalmente da conexão dos fatos. Talvez eu faça um clip com essa narração. Tudo bem?

    Que tu tenha um melhor dia depois desse comentário!

    Abraço

  2. Tiago… o mundo é muito é louco. Uma andorinha só não faz verão. Eu faço a minha parte e, em seguida, vou à praia! Bom demais!

    Beijo e obrigada pela sua visita também!

  3. Tiago… o mundo é muito é louco. Uma andorinha só não faz verão. Eu faço a minha parte e, em seguida, vou à praia! Bom demais!

    Beijo e obrigada pela sua visita também!

  4. Estou orgulhosa desse filho maravilhoso e inteligente!!! Parabéns, escreves muito bem! És meu escritor preferido!!! Te amo…

  5. Muito bom, uma crônica quase completa e ao mesmo tempo bem amarrada. Dizem que os artigos e crônicas devem ter um foco, um assunto. O teu tem todos e não se perdeu. Bem legal.

  6. Eu já aprendi isso! Sinta-se orgulhoso de mim, baby! 😉

    Minha lição favorita: enquanto estás parado, sofrendo e esbravejando a toa, a cerveja continua a gelar!
    hihihihihihihi #)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s