Gre-Nal

     Caro(a) leitor, nem sei se tu gostas de futebol ou se acompanhas a dupla Gre-Nal, mas com as atuais campanhas de Grêmio e Inter, ocorreu-me uma pergunta. Parecia simples, mas é difícil de respondê-la rapidamente. Ei-la: o que foi pior para o torcedor? Os anos 90 do Inter ou os 2000 do Grêmio?
     Lembro que ambas décadas começaram bem para os times que se deram mal, depois. Os dois, coincidentemente, conquistaram a Copa do Brasil na largada, porém não colocaram muito mais troféus em suas respectivas estantes. Abaixo uma (nem tão) breve análise para que tu possas formular melhor a tua opinião:

A década de 90

      A década de 90 começou muito mal pro Grêmio. Principalmente no biênio 91-92, quando viu seu rival conquistar três títulos e amargou o rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Com uma ajudinha extra-campo, retornou ao seu patamar e começou a conquistar simplesmente tudo. Na “era Felipão”, com um time “copeiro” e bom de briga, o tricolor buscou troféus de Libertadores, Copa do Brasil e gauchões – um desses, inclusive, com direito a derrotar o rival com time reserva. Não tinha tempo nem campo ruim, o Grêmio provou por A mais B que sua supremacia e seu time eram gigantes comparados com o rival.
     Para o Inter, esse período não teve tanta graça. Depois de dois vices nacionais consecutivos nos anos 80, os colorados finalmente puderam ostentar mais uma estrela em seu escudo, com a Copa do Brasil de 1992. No ano seguinte, fez uma campanha pífia na Libertadores. E essa rotina estendeu-se pelo restante da década. Teve 97, bom ano, quando reconquistou o gauchão e foi 3º no Brasileiro. No entanto, se fosse definir este ano e o resto da década, em uma só palavra, essa seria “quase”. Quase rebaixado, quase classificado, quase na Libertadores. Quase! Assim o Inter amargou o limbo dos clubes médios por um bom tempo.

Os anos 2000 do Grêmio

     Nos anos 2000. Os gremistas viviam na “era Tite”. Títulos, boas participações na Libertadores. Enfim, um substituto para Felipão. Em 2001, o time sagrou-se tetra da Copa do Brasil. No entanto, logo a seguir, a parceria com a ISL, que prometia mundos e fundos, além de um grande time, transformou-se num dos maiores erros da história do clube e até hoje incomoda seus dirigentes com dívidas e processos.
     A decadência tricolor começou em 2003. Era pra ser festa, afinal era o centenário do Grêmio. Nesse ano, o time até teve uma boa participação, indo nas quartas-de-final da Libertadores. Porém, o Brasileirão foi um prenúncio de 2004. Moribundo e jogando mal, o time quase caiu. Por pouco, escapou, façanha que não conseguiu repetir no ano seguinte, terminando em 24º um campeonato que tinha 24 participantes.
     Em 2005, do zero absoluto, o Grêmio se reconstruiu graças a Paulo Odone. Foi épica a final da Série B, sem dúvida, quando venceu o adversário por 1 a 0 e com três jogadores a menos, jogando fora de casa, num clima nada amistoso. Todavia, vale lembrar: o adversário era o Náutico, que não sabia o que era primeira divisão há anos e não chega nem perto da grandeza do clube tricolor.
     Saído do inferno, o time aprontou no biênio seguinte, reconquistando o estadual e sendo vice da Libertadores de 2007, quando ninguém apostava numa campanha mais que razoável. Esse ano, o Grêmio fez uma ótima campanha no começo do regional, foi o último time brasileiro a perder a invencibilidade, mas caiu surpreendentemente nas quartas. Na Copa do Brasil, foi eliminado, em pleno Olímpico, por um time da terceira divisão e então veio a crise.
     Para mim, não chega ser espantoso, pois, desde que caiu, o Grêmio nunca mais conseguiu formar uma sólida base de time. Chegam jogadores lesionados, recuperam-se, fazem boa campanha, juram amor à torcida, mas, em dezembro, dizem adeus. Há tempos que a direção gremista é obrigada montar um grupo às pressas, tendo no time um rodízio de boleiros todas as temporadas. Da mesma forma que acontecia com o Inter antes de Fernando Carvalho…

Os anos 2000 do Inter

     Nos lados da beira do rio, os anos 2000 começaram da mesma forma que os 90. Times meia-boca, Grêmio em alta, colorados desiludidos vivendo apenas do orgulho do passado já – nessa altura distante. Passados cinco anos sem levantar uma taça sequer, 2002 teve o Inter como campeão gaúcho. Animados, e com direção nova – era o primeiro ano da gestão Fernando Carvalho – o time entrou no Campeonato Brasileiro ambicionando uma boa posição. Quase foi rebaixado. 
     O susto foi grande, mas serviu de lição para os dirigentes, que a partir daí, passaram a fazer contratos mais longos e investir nas categorias de base para conseguir uma grana com a Lei Pelé. No ano seguinte, começou a retomada do Internacional. A chegada de Muricy Ramalho mudou os rumos do clube. Há anos que não se via um futebol decente e constante no Beira-Rio. Muricy conseguiu isso e classificou o time para a Sul-Americana de 2004.
     Passados 11 anos da Libertadores de 1993, finalmente o Inter voltava a jogar uma partida oficial contra castelhanos. Chegou às semifinais da competição, contudo perdeu de 4 a 2 para o Boca Juniors, na Bombonera, e não conseguiu reverter o placar em casa. Para os colorados, valeu a pena, pois sentiram o gostinho de viajar pela América novamente. O clube estava tão esquecido no âmbito continental que o presidente do Boca acreditava que o Inter era do interior do Paraguai.
     Aos poucos, os vermelhos foram reconquistando respeito. No ano seguinte, nova derrota de 4 para o Boca na Sul-Americana, só que desta vez o Inter já tinha vencido uma das partidas contra os argentinos. Nessa época, também, o time perdeu o Campeonato Brasileiro no tapetão para o Corinthians, o que parecia uma brincadeira macabra com seu torcedor, afinal, o clube estava elevando seu patamar, sem dúvida, no entanto, nada de grandes títulos, apenas os regionais em seqüência (2002-2005).
     Em 2006, porém, veio recompensa. Com um time forte e organizado, o Inter conquistou a Libertadores e o Mundial, em cima de São Paulo e Barcelona, respectivamente – ambos considerados favoritos. Na temporada seguinte, o torcedor então (re)acostumado com glórias, viu o time desmoronar no gauchão e ter um ano à la década de 90. Mas o nível era outro e, mesmo numa temporada ruim, o time foi campeão da Recopa – mais um título internacional. 2008 mal havia começado e o Inter fez um crime contra a xará italiana e faturou a Copa Dubai de forma que xeque nenhum esperava. Foi um torneio amistoso, todavia valendo bem mais do que os que os colorados venciam antes.
     Tudo o que aconteceu com Inter não foi obra do acaso. Para se reerguer, o clube reformou-se. Investiu em marketing e na categoria de base. Aprendeu a ganhar dinheiro e trocou dívidas por receitas. Profissionalizou-se para o novo século e está fazendo seu torcedor esquecer da década anterior com louvor. 

Com a palavra, um profissional

     Questionado sobre o assunto, Fabrício Falkowski, jornalista do Correio do Povo e setorista do Inter desde 2000, diz: “Em matéria de títulos, as duas décadas praticamente se equivalem, com pequena vantagem para o Inter, que conquistou o mundial interclubes em 2006. Em tragédias, também o Grêmio está na frente graças à queda para a segunda divisão. Essa marca, o Inter ainda não carrega no currículo, apesar de ter passado perto algumas vezes.”
     Tentei falar com o Luís Henrique Benfica, da ZH, setorista do Grêmio há anos, mas ainda não obtive resposta, caso ele venha a retornar meu e-mail, publicarei sua opinião aqui.

E aí, o que tu achas?

     Eu concordo com o Fabrício. Acredito que esses anos atuais estão sendo piores a torcida gremista do que foram os 90 para os colorados, uma vez que o Inter vem numa curva ascendente e o Grêmio decadente. E os colorados não amargaram a segundona e conquistaram o mundo. O grande mérito tricolor foi não ter sido mero coadjuvante nesta década, já que, mesmo caindo para a Série B, voltou com pompas e heroismo e, logo após, esteve numa final de Libertadores. Ao contrário do Inter, desapercebido por todos naquele tempo.
     Para concluir meu momento Wianey Carlet de ser – perguntando a opinião para os leitores –, depois dessa (nem tão) breve história, caro(a) leitor, gostaria de saber a tua opinião: o que foi pior para os torcedores: os 90 colorados ou os 2000 gremistas?
     Para te ajudar, coloquei, abaixo, a relação de títulos conquistados pela dupla nos períodos:

Grêmio 90-98
1 Libertadores (95)
1 Recopa Sul-Americana (96)
2 Copas do Brasil (94, 97)
1 Brasileiro 996)
4 gauchões (90, 93, 95 e 96)

Grêmio 00-08
1 Copa do Brasil (2001)
3 gauchões (2001, 06, 07)


Inter 90-98

1 Copa do Brasil (92)
4 gauchões (91, 92, 94, 97)

Inter 00-08
1 Mundial (2006)
1 Libertadores (2006)
1 Recopa Sul-Americana (2007)
5 gauchões (2002, 03, 04, 05, 08,)

*Desconsiderando torneios amistosos, como Copa Dubai (08 – Inter), Viña Del Mar (00 – Inter) e de menor expressão, como série B (05 – Grêmio) e Copa FGF (06 – Grêmio) 
**Considero a série B um título de “menor expressão” para o Grêmio, pois vejo o clube entre os grandes desse país. Conseqüentemente, qualquer conquista de segunda divisão não está no nível do time. Já a forma como ganhou esse troféu em 2005, sem dúvida, é heróica, típica de coisas que só o Grêmio é capaz de fazer.

Fonte: wikipedia do Grêmio e do Inter

ps: texto atualizado em 4 de maio, quando o Inter foi campeão gaúcho

Anúncios

13 pensamentos sobre “Gre-Nal

  1. Hahahahahah….
    “de menor expressão, como série B” Preciso dizer o time que o blogueiro torce?
    Por favor… Um campeonato brasileiro independente da divisão, é um brasileirão… Ja um torneio de dubai de tem 2 edições e o primeiro campeão não ganhou um jogo sequer (passou o primeiro jogo e foi campeão nos penaltis)
    Pode ter tirado por critério… mas “menor expressão”… Jamais… Por favor… ¬¬

  2. Analisando os números:

    Grêmio 90-98: 9 Títulos (sendo 2 títulos internacionais; 3 Nacionais e 4 estaduais.)

    Inter 00-08: 7 Títulos (sendo 3 títulos internaiconais – inclui um mundial; 4 estaduais.)

    O Inter pode conquistar mais dois títulos esse ano em que o tricolor não conseguirá – Gauchão e Copa do Brasil. Ambos os clubes ainda disputam o Brasileiro e a SulAmericana.

    Análisando o “contrário”:

    Grêmio 00-08: 5 títulos (sendo 2 nacionais – um Brasileiro da Série B e 3 estaduais)

    Internacional 90-98: 5 títulos (sendo 1 – um- nacional e 4 estaduais)

    Podemos ver que quando o co-irmão teve destaque o Grêmio conseguiu bons títulos, não contabilizando aí a segunda colocação na Libertadores um ano após o inter ter sido campeão e dois anos após disputar a Série B. Também não é avaliado o ano de 2007 para o Inter. Primeiro tme campeoão da libertadores a cair na primeira fase no ano seguinte ao título e a primeira vez na historia que o clube colorado não passou da primeira fase do campeonato estadual.

  3. A década 2000 ainda não passou, ela pode melhorar ou piorar ainda mais pro Grêmio… A análise é válida, mas só podemos discutí-la por inteiro a partir de 2011.

  4. Concordo com o Gustavo. A década ainda não acabou. Mas se seguir a tendência atual, o Inter ganha mais títulos e o grêmio amargará ainda mais tristezas. Vide a terrível situação financeira dos aflitos.

  5. Bah, pois é… a inspiração se esvaiu… se perdeu por aí…
    vou ver se no próximo fim de semana atualizo.

    obs: não comentarei esse texto, já q meus conhecimentos em futebol não passam do “impedimento”.

  6. Também concordo, a década ainda pode ser bem pior para o Gremio.. hahahhaha

    Falando sério.. Série B não é menor expressão, é não expressão e ponto.

    Por que seria melhor a década de 90 para o Gremio do que os anos 2000 para o Inter? (análise de um Colorado triste) Porque ganharam 1 Brasileirão, o mais nobre campeonato nacional (ainda que com a palhaçada de 2005) e 2 Copas do Brasil, que o Inter já participou de várias edições e só ganhou uma.

    Por que seria melhor para o Inter? (análise de um gremista triste) Porque aquela final contra o São Paulo já estava morta. Cada vez que lembravam que o Inter jogaria com o São Paulo campeão do mundo e da libertadores todos davam risada. Se cogitassem ir pro mundial contra o Barcelona acabava a conversa, tinha virado piada. E o Inter ganhou aquele jogo no Morumbi e o Tinga matou de vez aqui no Beira-Rio. Aquilo ali matou muito gremista do coração.

    Depois a final contra o Barcelona, que já tinha rendido boas risadas quando meteu 4 no America enquanto o inter sofreu para ganhar do Al Aly (não sei como se escreve). O Inter ter ganho aquele jogo ficará engasgado na goela dos gremistas até o leito de morte. Assim como ficariam os Colorados caso o Gremio tivesse vencido o Ajax.

    Por esse mundial vejo como desequilibrada a balança em favor do Inter. A comparação entre as duas décadas está morta.

  7. vo fala de algo que me chamo atenção..disseram que conquistar o campeonto brasileiro da série B com vitória “brilhante” i tal só o gremio tem a glória de fazer.. eu acho que nessa questão o Inter eh melhor..! o Gremio conquistou o brasileirão da série B sim.. mas pQ será que o Inter nunca fez isso? baaah..axo que nunca caiu neeh?! Putzz..desculpah! hahahaha lah em cima não quiseram conta a Copa Dubai e o Brasileiro série B..mas como dizeem.. sÓ quem não cai, vai pra Dubai! =P fuiÊ..vlw

  8. Interessante o artigo, Tiago, mas levando se em conta alguns detalhes, acho que a recuperação do Grêmio vem sendo muito boa. Vamos ser realistas, ainda estamos em processo de recuperação financeira, depois da desastrosa dupla Guerreiro e Obino e a falência da ISL. Com isso, a queda para Série B foi inevitável.

    Mas vamos comparar com os outros grandes clubes que caíram para Série B e regressaram de volta para Série A:

    Fluminense: entre os grandes, foi o que mais caiu, chegando à Série C. Desde que retornou em 2000, na Copa João Havelange, sem participar da Série B. Desde então, com a parceria da Unimed, ganhou dois estaduais (um deles está sob judice, que é o de 2002) e uma Copa do Brasil, conquistando a vaga para Libertadores (a única desde então), em que conseguiu o Vice-Campeonato.

    Palmeiras: caiu em 2002 e retornou em 2003, com o título da Série B. Desde então, conquistou apenas um título estadual, isso graças à parceria com a Traffic, que investiu na contratação de grandes jogadores, como Diego Souza, Kleber e Alex Mineiro. Conquistou três vagas na Libertadores (2005, 2006 e 2009).

    Botafogo: caiu e voltou junto com o Palmeiras, e ficou com o vice da Série B. Desde então, conquistou apenas um estadual na administração Bebeto de Freitas e não obteve vaga para Libertadores.

    Atlético Mineiro: caiu em 2005 e voltou em 2006, com o título da Série B e ganhou apenas um estadual até aqui, com participações pífias no Campeonato Brasileiro desde então e também não conseguiu garantir uma vaga para Libertadores.

    Grêmio: caiu em 2004 e regressou em 2005. Desde então, ganhou dois estaduais seguidos, sendo que um deles na casa do rival e conquistou duas vagas na Libertadores (2007 e 2009), sendo que uma delas foi vice-campeão e conseguiu um terceiro (2006) e segundo lugar no Campeonato Brasileiro. Isso sem ajuda de investidor.

    *Ainda é cedo para julgar o Corinthians e mais ainda o Vasco. :-p

    Ou seja, a recuperação futebolística e financeira do Grêmio está ocorrendo sim. Entre aqueles que caíram, o Tricolor é o que mais mostra resultados, mesmo sem recursos financeiros para tanto. Portanto, dá sim para acreditar que as coisas vão melhorar para o Grêmio, se tudo seguir nessa tendência.

    Sobre a questão das décadas, o Grêmio teve uma certa hegemonia por duas década, e não apenas uma. Afinal, na década de 1980 e 1990, o Grêmio conquistou um Mundial Interclubes, duas Libertadores, dois Brasileiros, quatro Copas do Brasil e 11 estaduais (sendo que Inter chegou a ser vice do Grêmio cinco vezes consecutivas 1985-1989).

    Por outro lado, assim como foi na década de 1970, a década de 2000 é sim de uma hegemonia colorada, não há como negar isso. Mas se tudo der certo, a próxima década o Grêmio terá forças para realizar grandes conquistas.

  9. Interessante o artigo, Tiago, mas levando se em conta alguns detalhes, acho que a recuperação do Grêmio vem sendo muito boa. Vamos ser realistas, ainda estamos em processo de recuperação financeira, depois da desastrosa dupla Guerreiro e Obino e a falência da ISL. Com isso, a queda para Série B foi inevitável.

    Mas vamos comparar com os outros grandes clubes que caíram para Série B e regressaram de volta para Série A:

    Fluminense: entre os grandes, foi o que mais caiu, chegando à Série C. Desde que retornou em 2000, na Copa João Havelange, sem participar da Série B. Desde então, com a parceria da Unimed, ganhou dois estaduais (um deles está sob judice, que é o de 2002) e uma Copa do Brasil, conquistando a vaga para Libertadores (a única desde então), em que conseguiu o Vice-Campeonato.

    Palmeiras: caiu em 2002 e retornou em 2003, com o título da Série B. Desde então, conquistou apenas um título estadual, isso graças à parceria com a Traffic, que investiu na contratação de grandes jogadores, como Diego Souza, Kleber e Alex Mineiro. Conquistou três vagas na Libertadores (2005, 2006 e 2009).

    Botafogo: caiu e voltou junto com o Palmeiras, e ficou com o vice da Série B. Desde então, conquistou apenas um estadual na administração Bebeto de Freitas e não obteve vaga para Libertadores.

    Atlético Mineiro: caiu em 2005 e voltou em 2006, com o título da Série B e ganhou apenas um estadual até aqui, com participações pífias no Campeonato Brasileiro desde então e também não conseguiu garantir uma vaga para Libertadores.

    Grêmio: caiu em 2004 e regressou em 2005. Desde então, ganhou dois estaduais seguidos, sendo que um deles na casa do rival e conquistou duas vagas na Libertadores (2007 e 2009), sendo que uma delas foi vice-campeão e conseguiu um terceiro (2006) e segundo lugar no Campeonato Brasileiro. Isso sem ajuda de investidor.

    *Ainda é cedo para julgar o Corinthians e mais ainda o Vasco. :-p

    Ou seja, a recuperação futebolística e financeira do Grêmio está ocorrendo sim. Entre aqueles que caíram, o Tricolor é o que mais mostra resultados, mesmo sem recursos financeiros para tanto. Portanto, dá sim para acreditar que as coisas vão melhorar para o Grêmio, se tudo seguir nessa tendência.

    Sobre a questão das décadas, o Grêmio teve uma certa hegemonia por duas década, e não apenas uma. Afinal, na década de 1980 e 1990, o Grêmio conquistou um Mundial Interclubes, duas Libertadores, dois Brasileiros, quatro Copas do Brasil e 11 estaduais (sendo que Inter chegou a ser vice do Grêmio cinco vezes consecutivas 1985-1989).

    Por outro lado, assim como foi na década de 1970, a década de 2000 é sim de uma hegemonia colorada, não há como negar isso. Mas se tudo der certo, a próxima década o Grêmio terá forças para realizar grandes conquistas.

    Saudações e desculpe o comentário longo. 😉

  10. Muito bom o artigo.Agora vamos aos fatos.O gremio dominou por duas decadas com ampla vantagem nas decadas de 80 e 90.Mas falando da decada de 90 e 2000 ,vejo que elas se equilibram muito , ms vejo alguns fatores determinantes para uma analise.O inter na decada de 90 começou muito bem , porem depois venho a se tornar mero coadjuvante , obtendo muitas amarguras.Enquanto isso o gremio se recuperava e ganhava tudo o que disputava , e tambem teve jogos memoraveis contra o palmeiras que era uma seleçao da epoca.Nos anos 2000 o gremio começou muito bem porem depois entrou em uma crise que se estende ate agora , enquanto o inter foi se reerguendo e ganhando titulos ineditos em sua historia , fazendo dessa a decada do internacional.Mas na soma total acredito que o gremio leve uma vantagem na comparaçao ,pois tirando o seu rebaixamento na decada de 90 o gremio so alcançou titulos de grande expressao e façanhas memoraveis , enquanto o inter so era um coadjuvante e pouco aparecia na midia , chegando a fica 11 anos sem disputar titulos internacionais.Ja na decada de 2000 mesmo o inter sendo muito superior , o gremio continuou disputando titulos ,alem de alcançar a vioria heroica nos aflitos , eo inter fechou a decada com uma vergonhosa derrota para o mazembe , alem de outros vexames , como eliminaçao no gauchao e prmeiro time a cair na primeira fase da libertadores um ano apos a conquista , sendo que os titulos de grande expressao do inter foram a libertadores ,a recopa eo mundial ,esse sim o diferencial do inter , o mundial interclubes , com esse titulo o inter conseguil equilibrar as duas decadas em termos de titulo e tambem o fato de nao terem sido rebaixados , por que de resto acredito ,que na soma de titulos e jogos memoraveis o gremio esta na frente.Esta minha singela opiniao , obrigado a todos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s